Produzimos conteúdo sobre inovação e empreendedorismo para o Projeto Draft. Sugestão de pautas, entrevistas e elaboração de texto são feitas por nós para o portal. Confira:

Conheça a Vila do Largo, um reduto de economia colaborativa que nasceu do sonho de um arquiteto

A Vila do Largo fica no Largo do Machado (entre os bairros de Laranjeiras, Catete e Flamengo, no Rio de Janeiro) e hoje é um charmoso polo de economia colaborativa, artes e cultura da cidade. Ao todo, 36 casinhas abrigam residências, ateliês, empresas, espaços de coworking, cursos e um café. Continue lendo

Como a MateriaBrasil tornou possível o sonho do design sustentável, ou melhor, com impactos positivos

Como você definiria uma empresa que desenvolve novos materiais a partir de resíduos, remunera a cadeia de produção de forma equilibrada, contrata pequenos fornecedores e cooperativas? “A gente não fala de sustentabilidade. Não existe isso, você vai quebrar alguns ovos sempre”, diz o designer e engenheiro Bruno Temer, 33, que, junto com outros dois amigos, fundou em 2005 o escritório de design MateriaBrasil.  Continue lendo

Como dois não-engenheiros fundaram um negócio de energia solar e impacto social: a Insolar

Esta é a história de dois empreendedores que cansaram de olhar para o céu e não fazer nada. Explicando: o Brasil é gigantesco (8 milhões de quilômetros quadrados) e recebe 280 dias de sol por ano, números de dar inveja à Alemanha, um dos líderes mundiais em geração de energia solar (que tem apenas 4% do nosso tamanho e muito menos sol). Continue lendo

É possível facilitar o acesso a consultas médicas no Brasil? A Doutor Já aposta que sim

Em 2013, o Brasil recebia a Copa das Confederações – um pequeno aperitivo do que seria a Copa do Mundo, no ano seguinte. Apaixonados por esporte e com o desejo de empreender, os amigos de infância Carlos Felipe Leão, Daniel Figueira e Gustavo Valente perceberam o bom momento para o futebol e investiram no projeto Olho do Furacão, que consistia em reproduzir a atmosfera de uma mesa de bar em vídeos do YouTube. “A gente gravava o jogo e depois editava a reação das torcidas”, conta Gustavo. Continue lendo

Voltar para portfólio