13 de junho de 2017 Maria Clara Machado

O que é assessoria de imprensa?

Jornais em banca: como os resultados de assessoria de imprensa são alcançados?

O trabalho de assessoria de imprensa costuma gerar dúvidas e muitas expectativas: as matérias são pagas? É a mesma coisa que publicidade? Quando vou sair na capa da revista? Neste post, vamos explicar um pouco melhor sobre como funciona o trabalho de assessoria de imprensa e o que esperar dele.

A assessoria de imprensa estabelece uma relação entre o assessorado (que pode ser uma pessoa física ou jurídica) e os veículos de comunicação. O objetivo é criar oportunidades de cobertura jornalística em matérias do interesse do cliente. Com isso, o assessorado tem sua imagem fortalecida diante de seu público-alvo e ganha notoriedade e prestígio. Além disso, muitas vezes é possível divulgar seus produtos e serviços.

Essas coberturas jornalísticas podem acontecer de diversas formas. Algumas delas são:

  • Matérias específicas sobre o assessorado, seus produtos ou serviços
  • Entrevistas que posicionem o assessorado (ou seus porta-vozes) como especialista em seu campo de atuação
  • Artigos de opinião que divulguem o posicionamento do assessorado sobre determinada situação social ou de mercado
  • Artigos técnicos que demonstrem seu conhecimento em determinado campo de atuação
  • Cessão ou empréstimo de produtos, locações, cenários

Os formatos das inserções são muitos, e podem variar com o perfil de cada cliente.

É a mesma coisa que publicidade?

Não. As matérias resultantes da assessoria de imprensa não envolvem pagamento aos veículos de comunicação, e aparecem no material editorial da imprensa – ou seja, em matérias jornalísticas – e não em anúncios ou espaços comerciais.

A diferença crucial é que o material editorial passa pela apuração de repórteres e editores. Eles investigam a informação, ouvem outros personagens da história e só publicam o que realmente for verdadeiro e de interesse do público. Não há qualquer pagamento aos veículos de comunicação. Em espaços editoriais, os jornais só publicam o que julgam relevante.

O leitor percebe este esforço de apuração, e por isso a informação editorial tem muito mais credibilidade do que os anúncios.

As dores e as delícias de ser o que é

Mas nem tudo são flores: também por conta da apuração e liberdade jornalística, o assessor de imprensa não tem a garantia sobre a publicação da matéria, nem pode lê-la (e muito menos editá-la) com antecedência.

Por isso, expectativas realistas sobre o trabalho da assessoria de imprensa consideram que estabelecer uma relação de confiança leva tempo, e que uma postura ética com a imprensa inviabiliza qualquer “garantia” de publicação.

Mas sem desânimo: a experiência mostra que uma relação com a imprensa construída sobre informações verdadeiras e interessantes se reflete em resultados expressivos para os assessorados.

Gostou do assunto? Nós da Nuage preparamos uma série com mais três posts sobre as ferramentas do assessor de imprensa. Enquanto isso, você pode conferir alguns de nossos trabalhos clicando aqui. Também estamos sempre disponíveis por e-mail para um papo sobre comunicação. ☁️

 

Voltar para o blog Nuage Comunica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *